Com uma localização privilegiada, na medida em que é servida por bons acessos rodo e ferroviários, tendo como pano de fundo a verdejante serra do Buçaco, a Freguesia de Pampilhosa caracteriza-se por ser um espaço onde dá gosto viver.

35 anos de elevação da vila da Pampilhosa

A população da Pampilhosa era, até ao século XVIII, diminuta e subsistia da agricultura e da pecuária. A aldeia pertenceu ao concelho de Coimbra até à década de cinquenta do século XIX. Só pelas alterações do decreto de 31 de dezembro de 1853 ao Código Administrativo de 1842, a freguesia da Pampilhosa deixa o seu vínculo secular ao concelho de Coimbra e é integrada no concelho da Mealhada. A primeira referência encontrada acerca de existência de uma Junta de Paróquia na Pampilhosa remonta a 1849, sendo presidente o Sr. Manuel José Christina. No entanto, três anos antes, em 1846, surgem as primeiras evidências relativas à organização administrativa da Pampilhosa num documento da Administração do concelho de Coimbra, em que é nomeado como substituto do regedor da Paróquia da Pampilhosa, o Sr. Agostinho José de Mello. Em termos de vínculos administrativos com Coimbra, estes foram definitivamente quebrados em 1855 (decreto de 24 de outubro) quando o concelho da Mealhada é integrado no distrito de Aveiro, deixando de pertencer ao de Coimbra. Nos finais do século XIX, princípios do século XX, a vida desta pequena aldeia foi completamente transformada com a chegada dos caminhos-de-ferro, e com a construção da linha da Beira-Alta, em 1889. Com esta excelente via de comunicação, a indústria implantou-se dando uma nova vida à população da Pampilhosa. Assim cresceu enormemente, proliferando as indústrias de cerâmica, transformação de barro, metalúrgica e madeira. Em 24 de junho de 1983, é proposta a elevação da Pampilhosa a vila, por iniciativa do Grupo Parlamentar do PCP, que apresenta à Assembleia da República o projeto-lei nº 123/III, de 22 de junho, justificando tal facto pela "dimensão populacional da povoação de Pampilhosa (…), o maior centro populacional do concelho da Mealhada"; pelo "desenvolvimento económico desta povoação, sobretudo no domínio das indústrias de cerâmica, madeiras e metalomecânica ligeira"; ser "um dos maiores entroncamentos ferroviários do país"; e ainda pelo "seu equipamento social, cultural e desportivo". Em 9 de julho de 1985 a Pampilhosa é elevada à categoria de vila, vindo regulamentar este acontecimento, a Lei 67/85, de 25 de setembro; era então presidente da Junta de Freguesia João Matos de Oliveira que tinha como secretário Antonino Alves Pessoa e tesoureiro Delfim Soares de Oliveira. Volvidos 35 anos de elevação a vila e num período tão controverso, onde as indústrias do barro, e outras aqui anteriormente instaladas, se extinguiram por não acompanharem o progresso, a Pampilhosa vive um período de estagnação económica, caindo aos poucos à condição de “dormitório”. Nesta vila, por estar bem localizada e ter boas acessibilidades, quer por via ferroviária, quer por via rodoviária, e pela proximidade com Coimbra, Aveiro e Mealhada, as pessoas encontraram a tranquilidade e habitações a preços mais económicos que nas cidades, fixando-se e elegendo-a como seu lugar de habitação. A Pampilhosa tem potencial para investimento industrial/económico, tendo boas acessibilidades, onde a ferrovia converge entre a linha do Norte e a linha da Beira Alta, para além da proximidade com acessos à Autoestrada A1, IC2, IP3 e A14. Está dotada de equipamentos escolares e desportivos, extensão de saúde, IPSS, comércio local diversificado e farmácia, Igrejas de várias confissões religiosas, sendo um polo rico em associativismo com 13 associações sediadas na freguesia, o que orgulha o apelido de “Farol da Cultura”.

Tarifa social na Eletricidade e Gás Natural

Tarifa Social na eletricidade e Gás Natural Desconto de 33,8% na fatura de luz e gás natural 1- Que tipo de desconto é? Quem tem direito? A tarifa social é um desconto aplicado pelo Estado, de forma a reduzir o esforço que as familias têm com o pagamento das faturas de eletricidade e gás natural. A atribuição do desconto está relacionada com a situação económica de cada agregado familiar, ou seja, depende de rendimento que cada um aufere anualmente e também se o consumidor é beneficiário de prestações sociais provenientes da segurança social. O desconto permite uma redução de 33,8%, diretamente na fatura da luz e do gás natural, sobre o consumo, potência elétrica e ainda no acesso às redes. O desconto é aplicado antes do IVA. Além disto, o consumidor deve ser o titular do contrato de luz ou gás e ter não ter uma potência contrada superior a 6,9 kwh. 2- Pretende saber se tem direito? Saiba como. O desconto terá ser atribuido de forma automática na fatura dos consumidores elegíveis. Esta atribuição é efetuada através de um cruzamento de dados dos consumidores entre a Segurança Social, Direção Geral de energia e a Autoridade Tributária com as fornecedores de energia. Em caso de possuir os requisitos, a aplicação é obrigatória e automática. No entanto, a maioria das empresas de energia não está a realizar a ativação da tarifa social. Desta forma, deve ser o consumidor a entrar em contacto com o seu fornecedor e solicitar a ativação da tarifa social. Apesar de preencherem os requisitos, a maioria dos consumidores desconhece tal informação e acabam por não estar a usufruir da tarifa social. De momento este apoio destina-se à energia, no entanto está a ser analisada a possibilidade de se estender os apoios ao sector das telecomunicações.

"Mealhada em Movimento"

2020-02-22 10:29

"Mealhada em Movimento" é o mais recente programa de atividade física dirigido a toda a população do concelho, que levará a prática desportiva a cada uma das seis freguesias. Durante os meses de março, abril e maio, a população é convidada a caminhar ou a participar numa aula de grupo. O Município da Mealhada procura defender e estimular a prática desportiva junto de toda a população e desafia crianças, jovens, adultos e idosos a participarem nestas sessões de atividade física que percorrerão as freguesias. A primeira está marcada para a Pampilhosa e acontece já dia 17 de março (ver programa abaixo). O Mealhada em Movimento é um instrumento de desenvolvimento motor e cognitivo, que proporciona aos praticantes, independentemente da idade, diversos tipos de experiências sociais, culturais e desportivas. A atividade física e desportiva constitui também uma oportunidade para o divertimento e o convívio com outras pessoas, que não deve ser descurada. A adesão ao programa é gratuita, mas deverá ser feita uma inscrição nas sedes das juntas de freguesia, na Câmara Municipal da Mealhada ou nas Piscinas Municipais da Mealhada. Programa 17 de março (domingo) l 09h30 l Jardim Municipal da Pampilhosa (restaurante pedagógico EPVL); Caminhada e aula de grupo (aeróbica)+alongamentos. Tempo de duração previsto da caminhada: 2h Grau de dificuldade: moderado/baixo Passagens: Rua da república, Rua Dr. Abel Silva Lindo, Rua Joaquim da Cruz, Jardim da BP, Rua de Santa Marinha, Rua do Freixo, Rua Prof. Guilherme Ferreira da Silva, Casa Quinhentista), Rua da Igreja, Bombeiros, Rua do Lagar, Rua do Luso, Rua da república Chegada: Jardim Municipal da Pampilhosa - Aula de Grupo + Alongamentos.